Criando um programa de rádio (Produção, roteiro e nome do programa)

Importante antes de tudo frisar que rádio não se faz sozinho, e sim com uma equipe preparada e qualificada para o bom desempenho de um programa de rádio. Aqui teremos alguns apontamentos sobre quais os pontos mais relevantes para uma boa elaboração de um, sendo ele de qualquer gênero ou público. Entre esses pontos teremos: pauta ou apuração, roteiro, equipe, gênero e nome do programa. 

Como passo inicial e primordial para a elaboração de um programa de rádio devemos dar destaque às pautas ou apurações. As pautas ou apurações são responsáveis pelo levantamento de todas as informações que deverão nortear a estrutura e o andamento do programa. Uma vez que, pautas ou apurações são funções incunbidas do pauteiro ou apurador, que neste razão cabe-se aos programas de cunho jornalístico. E as pautas de programas com cunho ficcional, esta responsabilidade cabe ao roteirista. Deve ocorrer nesta fase um levantamento de informações necessárias para que no futuro não hajam imprevistos ou divergências na montagem e na veiculação do material. 

Veja o conteúdo especial da Federal FM para você montar sua emissora de rádio on line ou criar seu podcast

Já citando o termo roteirista, vamos ao roteiro. Roteiro pelo sentido literal da palavra mostra qual rota seguir para chegar a algum caminho ou objetivo. Por isso, o roteiro no rádio nos traz tudo o que terá de ser produzido no programa. Desde as palavras a serem ditas pelos locutores, as entonações a serem cumpridas (para uma boa emissão de mensagem), os efeitos que serão utilizados e adicionados para veiculação do programa e por fim os detalhamentos de pausa e ambientação a ser usada. Tudo isso para que a mensagem que será passada seja coerente e concisa com o público receptor. Considerável dizer que o roteiro tem de ser um documento direto, conciso e bem formulado. Pois, um roteiro que causa dúvidas não leva a lugar algum. Concluindo nosso assunto sobre roteiro, lembramos para quem e por quem o roteiro é feito. Isto mesmo, o roteiro é dirigido para a equipe e feito por um responsável da equipe, como dissemos anteriormente. 

Equipe no ambiente de uma rádio e na construção de um programa é fundamental. Afinal como dissemos, rádio não se faz sozinho. Mas mesmo assim, é necessário estabelecer alguns pontos e vertentes necessárias para um bom andamento do trabalho de rádio. Antes de tudo, deixemos claro que existem setores e funções diferentes para cada tipo de cargo estabelecido. Porém estes trabalhos ou funções devem ter em mente que ambos se interligam e compartilham de uma rede de informações necessárias. Ou seja, uma função depende de um bom desempenho da outra para que o resultado final seja o esperado. Destacamos então aqui algumas funções ou divisões dentro de uma equipe de rádio: pauteiro ou apurador, roteirista, produção, locução, operação de áudio ou edição e a direção. Ambos são funções importantes e que quando alinhadas surtem um efeito positivo e satisfatório. 

Rapidamente vamos citar alguns pontos chaves de cada função da equipe. O pauteiro ou apurador é encarregado de levantar informações para elaboração de um programa. O roteirista é responsável pela descrição do programa em si, levando toda a equipe a um caminho correto, claro e conciso, com um objetivo claro. Orientando como fazer e como finalizar cada trabalho nas fases do programa (em alguns meios isto também pode ser chamado de script). Em seguida temos a produção. Esta função encarregada de ser uma ponte entre a direção e o restante da equipe é uma das que mais trabalham no ambiente radiofônico. A produção tem o trabalho de encaminhar a equipe para a realização de um trabalho, garantindo equipamentos, materiais e sendo norte de execução das funções. Dentre estas funções, temos a operação de áudio ou edição, que é inteiramente responsável pela produção de materiais de áudio, e pela finalização dos mesmos. Os responsáveis além de possuírem uma boa capacidade técnica, devem ter consigo uma boa noção de ferramentas linguísticas e bom gosto auditivo, para que suas peças tenham qualidade e bom refinamento. Por fim, temos a direção. O membro da equipe com maior peso, por sua vez se encarrega da finalização do programa. Sendo ele então que tem como responsabilidade guiar todos da equipe, desde a elaboração, produção e até os processo finais de edição. Assim como no audiovisual, o diretor fica sendo o autor final do programa. 

Contudo, ressaltamos que apesar da equipe é importante mostrarmos outro ponto, o gênero e nome do programa. E se tratando de gênero, dizemos que é uma parte trabalhosa. Porém se pensado e bem formulado o programa, torna-se fácil a identificação do mesmo. É de extrema importância a formulação de um gênero para o programa, pois isso facilita uma comunicação, a deixando clara e objetiva ao público destinado.

E como identificar o gênero de um programa? Primeiro analise seu público, qual e como o deseja atingir. Em seguida, avalie suas propostas e considere como você quer ser visto na communicação. Após isso, elenque quais assuntos deseja tratar e enumere suas relevâncias. Por fim, pesquise sobre os gênero existentes que caberá a sua proposta. Conheça agora alguns gêneros mais usados para a identidade de um programa.

O programa musical se destaca por fazer uma divulgação sem muita burocracia das letras, canções e melodias. Este gênero se encaixa perfeitamente para o estilo de programa que visa causar uma distração e propagar a cultura musical. O trabalho se resume em anunciar e divulgar com qualidade os áudios veiculados pela emissora. 

Já o programa variedades se caracteriza por um tripé radiofônico entre: música, informação e entretenimento. Dentro deste gênero firmamos que ele engloba algumas vertentes que norteiam o andamento do mesmo, como: talk show, game show, culinária, informação, cultura e música. Acaba ficando por conta do interlocutor a função de conduzir o programa de uma forma descontraída garantindo uma mistura correta entre os assuntos. 

O programa jornalístico, assim dizendo pelo nome, se identifica sendo um programa destinado à informação, e com isso tem a responsabilidade de anunciar as informações em âmbito nacional ou internacional, dependendo do seu alcance, frequência ou estação. O programa jornalístico tem como objetivo divulgar o acompanhamento dos fatos acontecidos em determinada época. Mas dentro do cunho jornalístico temos alguns subtemas que são importantes para a elaboração do roteiro. Estes temas se definem como:

  • nota: curto informe de mensagens diretas;
  • notícia: relato curto porém integral de um fato que está em alta na sociedade;
  • boletim: pequeno programa de informações geralmente apresentados de hora em hora;
  • reportagem: narrativa que engloba diversos ângulos de um acontecimento;
  • debates: espaços de discussão coletiva sobre um determinado tema;
  • entrevista: uma das principais e mais atraentes fontes de coleta de informação;
  • radiojornal: um dos carros-chefes da rádio jornalística, com transmissão diária e dividido em segmentos;
  • documentário jornalístico: uma análise mais profunda sobre o tema em questão. (MAXCAST, 2019)

Se tratando de esportes, temos então o programa esportivo, que tem como finalidade cobrir partidas esportivas, divulgar resultados e propagar acontecimentos ligado ao mundo dos esportes. Além disso conta com noticiários, boletins esportivos, e as transmissões esportivas acontecendo antes ou depois de confrontos. Conta também com bastidores e preparações em campeonatos e grandes competições. No entanto, para que uma programa obtenha sucesso nesse segmento, é importante que a emissora garanta que quem realize estes trabalhos seja uma equipe preparada e totalmente entendida do assunto.


Após isso, temos o programa educativo ou cultural, que reforça uma ideia de propagar conhecimento e a divulgação de novos estudos, envolvendo o compartilhamento de ideias perante a sociedade. Por mais que o estilo de programa não seja tão comum, este estilo de programa tem como missão difundir entre seus ouvintes uma gama de conhecimento. Estes programas podem ter consigo uma identidade, tendo como tema: programas temáticos e segmentados, programas instrucionais, documentário educativo/cultural e autobiografia.

Por fim, temos o programa de entretenimento ou humorístico. Um estilo de programa que visa a propagação musical ou informativa, onde sobrepõe o humor, sempre contando com um formato interativo e com participantes de fora, fazendo uma interação entre ouvinte e locutor. Tem como destaque a presença de personagens e locutores com uma personalidade voltada à comédia.
Passamos por vários passos importantes para um estruturação de programa de rádio, mas agora é preciso pensar na identidade dele, e com isso pensamos no primeiro passo primordial, o nome.

 

Sugestão de nomes de programa de rádio

O nome de um programa de rádio deve conter a identidade sonora representada nele, o  estilo de seus ouvintes e acima de tudo, a proposta do programa. Tudo isso acoplado de uma maneira criativa e que atraia a atenção do público fiel e do público em potencial. Mas como pensar em um bom nome? Veja quais passos seguir: 

 

  • levante as pesquisas;
  • escolha um tema;

 

  • defina o gênero;
  • deixe uma linguagem clara;
  • elabore uma série de palavras que remetam aos passos anteriores. 

Pense em priorizar o estilo dos ouvintes no nome do programa, deixe o público representado nele, firmando sua proposta, identidade e o conteúdo sempre alinhado à marca.
Elencamos alguns nomes de programas de rádios, de diferentes estilos e gêneros:

 

  • MUSICAL / VARIEDADES / CULTURAL OU EDUCATIVO: A VOZ ECLÉTICA, PAPO EDUCATIVO, O SOM DAS LETRAS, GRAFITE CULTURAL, SOM BRASIL, RITMO PLURAL, BATIDA AUTÊNTICA, SOM E CULTURA, A VOZ DA MENTE, O SOM DA OPINIÃO, BATIDA CULTURAL, PENSAMENTOS DE UM RADIALISTA, OUÇA CULTURA, OUÇA O SOM DA EDUCAÇÃO, PLAYLIST SÉCULO 21, A MÚSICA DOS 4 CANTOS, QUEM OUVE APRENDE, A HORA DO CONTO, MANHÃ DO SABER, TARDE DAS CANTIGAS, NOITE LITERÁRIA, CULTURA NEWS; 
  • ENTRETENIMENTO OU HUMORÍSTICO: A GRAÇA DA MANHÃ, DESCONTRAÇÃO EM DIA, A VOZ DO CURIOSO,  OUÇA SORRISOS, CANTE E ENCANTE, CONTOS DE UM AZARADO, PIADAS E RISADAS, CRÔNICAS DO HUMOR,  TUDO POR PIADA, O EX EM APUROS; CAOS DE UM RADIALISTA, INFORME CULTURAL;
  • ESPORTIVOS: PAPO DE BOLEIRO, BOLA ON AIR, NA TRAVE, GANDULA NEWS, RÁDIO JUIZ, GOL DO OUVINTE, COPA NO AR, RÁDIO TORNEIO, O LANCE CERTO, PAPO ABERTO, BOLA NA REDE, ONDA SONORA FUTEBOL CLUBE, MAIS QUE AMIGOS, BOM TIME, A VOZ DO TÉCNICO, A VOZ DO JOGADOR, A VOZ DO BOLEIRO, NA BATIDA DO GOL, O CHUTE DO OUVINTE, O GOL DO OUVINTE, PLACAR SONORO, PLACAR FM, O LANCE DO RÁDIO, TREINO DO ATLETA, ATLETA FM, NA BATIDA DO TREINO, NA ONDA DO ATLETA, PLACAR AM, CAMISA 10, NA TRAVE, COMENTE O LANCE;
  • JORNALÍSTICO: DEBATE NEWS, INFORME AGORA, O INFORME DO OUVINTE, OUÇA OUVINTE, OUÇA CIDADÃO, CIDADE NEWS, A CIDADE NA ONDA DO RÁDIO, RÁDIO CIDADE, CIDADE FM, OUVINTE LIGADO, NA ONDA DA INFORMAÇÃO, AGORA CIDADE, NACIONAL FM, ESTADO NEWS, ECONOMIA FM, OUÇA APOSENTADO, DIREITO NEWS, CIDADÃO CONSCIENTE, POPULAÇÃO FM, POPULAÇÃO NEWS, DIA A DIA NEWS, OPINIÃO CONSCIENTE, O ESTADO NEWS, ELEITOR NO AR, ELEIÇÃO NEWS, NA ONDA DO ELEITORADO; 

 

Contudo descrito acima e perpassando por todos os pontos, observa-se uma gama de instruções claras e concisas para que um programa seja bem estruturado e segmentado. Lembre-se de que rádio é um meio de comunicação e que sempre deve conter uma linguagem clara, aberta e democrática perante a sociedade. 

 

 

REFERÊNCIAS

MEC, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA. Oficina de Rádio. Recursos de Áudio na WEB. Disponível em: <http://www.usp.br/nce/midiasnaeducacao/oficina_radio/apresentacao_geral.htm> Acesso em: 13/12/19. 

RIBEIRO, LEANDRO. Tudo sobre rádio. Disponível em: <https://maxcast.com.br/blog/> Acesso em: 13/12/19.

 

Texto de Carlos Eduardo Silva Pereira, aluno do 4o período de Produção Publicitária do Instituto Federal do Sul de Minas, campus Passos

 

Como produzir podcast?

O que é podcast?

Como montar uma emissora de rádio FM?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *